Emagrecimento: plásticas mais buscadas após perda de peso

In BELEZA

Dr. Marco Aurélio Guidugli aponta abdominoplastia como campeã, seguida de mastopexia e braquioplastia

Seja por meio de uma reeducação alimentar, que fez a cantora Marília Mendonça perder mais de 20 kg, ou da cirurgia bariátrica, que eliminou 70 kg da balança do apresentador André Marques, o emagrecimento ajuda a melhorar a qualidade de vida e a autoestima.

O excesso de pele acumulado em algumas áreas do corpo, porém, é uma das queixas frequentes de quem diminui as medidas rapidamente, gerando insatisfação e impedindo que a pessoa se sinta plenamente realizada. No entanto, antes de realizar intervenções e fazer as pazes com o físico de uma vez por todas, o cirurgião plástico Marco Aurélio Guidugli (www.marcoaurelioguidugli.com.br) chama a atenção às precauções necessárias e elenca os procedimentos mais buscados por essas pessoas:

1. Lipoaspiração
Queridinha dos brasileiros, a ‘lipo’ é o segundo procedimento mais realizado no país. De acordo com um levantamento publicado pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica e Estética (ISAPS), foram aproximadamente 211 mil cirurgias em 2017. A intervenção ajuda a remodelar o corpo e, até mesmo, aplicar a gordura retirada em outras regiões. O médico ressalta que, para pacientes que emagreceram muito, sobretudo aqueles submetidos à redução de estômago, é importante checar se a saúde está em dia antes de fazer qualquer intervenção. “Os riscos dessas pessoas apresentarem quadros de anemia são maiores – devido à falta de determinados tipos de nutrientes –, o que prejudica a cicatrização”, explica.

2. Abdominoplastia
Outra campeã de procura no Brasil por quem reduziu as medidas, a abdominoplastia foi a quinta intervenção mais realizada por aqui. Foram feitos mais de 121 mil procedimentos para a retirada do excesso de pele do abdômen em 2017. “Antes de realizá-la, é imprescindível que o paciente tenha atingido sua meta de emagrecimento e esteja com o peso estabilizado. A quem foi submetido à bariátrica, o ideal é esperar pelo menos dois anos”, afirma Guidugli. O período de recuperação varia de um a três meses, de acordo com a extensão da cirurgia realizada.

3. Mastopexia
A redução da flacidez das mamas e o alinhamento dos seios foram realizados por quase 105 mil pessoas em 2017. “Muitas vezes, a mastopexia também é acompanhada da colocação de próteses de silicone, que auxiliam no processo de remodelação do corpo”, acrescenta o especialista. Segundo ele, a recuperação gira em torno de 45 dias, quando é possível voltar à rotina normal.

4. Procedimentos faciais
O rosto é outra região que costuma perder a firmeza após o processo de emagrecimento, o que impulsiona as aplicações de toxina botulínica (400 mil procedimentos), para prevenir a intensificação de rugas, e ácido hialurônico (254 mil procedimentos), conferindo volume às áreas de maior flacidez. No plano da cirurgia plástica, o facelift é o mais buscado, com quase 70 mil intervenções registradas no período considerado, aliado a tratamentos de fortalecimento de colágeno, como peeling e laser. A recuperação varia de 15 a 30 dias.

5. Braquioplastia
A procura pela intervenção voltada a reduzir o excesso de pele na região do tríceps também é recorrente entre indivíduos que perderam muito peso. “Chamado de ‘músculo do tchauzinho’, a região incomoda os pacientes quando movimentam os braços e causa grande constrangimento na vida social”, comenta Guidugli. A incisão é feita na região da axila, mas pode se estender na parte interna do braço dependendo do caso, e o retorno ao dia a dia pode ser feito em torno de 30 dias. De acordo com o mesmo estudo da ISAPS, foram mais de 15 mil braquioplastias feitas no Brasil em 2017.

Guidugli lembra que é possível realizar até duas intervenções por vez, de acordo com as normas de segurança da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. É preciso, ainda, que sejam regiões que não comprometam o movimento do paciente no sentido de criarem dependência total ao longo da recuperação. É comum que pacientes façam lipoaspirações ou abdominoplastias junto às próteses de silicone, por exemplo.

“Quem está acima do peso, com problemas de saúde e autoestima, e consegue emagrecer, já terá um aumento considerável em sua qualidade de vida. As intervenções são a cereja no bolo de todo processo, para que a pessoa olhe no espelho e se sinta feliz com o reflexo”, diz o cirurgião.

Sobre o Dr. Marco Aurélio Guidugli
Formado em medicina pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e especializado em Cirurgia Plástica pelo Serviço de Cirurgia Plástica Oswaldo Cruz. O Dr. Marco Aurélio Guidugli, CRM-SP 115.842 – RQE 39.781, é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e atua na clínica que leva o seu nome. www.marcoaurelioguidugli.com.br.

 

Press Works

You may also read!

O poder de Marina Ferrari: com números surpreendentes, influencer alagoana é uma das mais requisitadas pelas marcas

  A nordestina de 27 anos, que ainda tem um salão com seu nome e uma marca de maquiagem própria,

Read More...

Musa do Bahia, Suelen Valiense mantém boa forma na quarentena e revela segredo

Nem mesmo a pandemia do novo coronavírus foi capaz de fazer Suelen Valiense abrir mão da sua rotina de

Read More...

Ex atriz das pegadinhas do João Kleber Show da Rede TV estreia como apresentadora de lives musicais

"O mundo agora é online. Este é o nosso novo mercado de trabalho com a pandemia", declara Débora Dunhill

Read More...

Deixe um comentário:

Seu email não será publicado.

Mobile Sliding Menu